Blog Contábil

Acredite: A autoconsciência pode alavancar a sua carreira!

Por: Cintia Knaut

Gerar resultados positivos atualmente, seja em qualquer área de nossa vida, está cada dia se tornando mais complexo, devido à diversidade crescente de opiniões, às mudanças constantes no ambiente corporativo, e também devido às diferentes formas de conduzir ou interpretar determinadas situações, enfim, à diversos fatores. Este desafio de gerar resultados positivos em meio ao caos exige algumas habilidades de cada um de nós.

Tom Peters em seu livro “Prosperando no Caos”, sugere que os vencedores de amanhã serão aqueles capazes de lidar de forma proativa com o caos resultante de uma competitividade cada vez maior. O desenvolvimento pessoal em nenhum momento foi tão fundamental como é hoje. Hoje é necessário desenvolvermos a capacidade de aprender em um ritmo acelerado e gerarmos estratégias pessoais para resolvermos toda essa ambiguidade.

Para lidarmos com todo esse caos precisamos gerar mudança e evoluir. Só que o grande desafio é de estarmos em harmonia com as nossas necessidades pessoais e profissionais. Muito mais importante de “o que” devemos fazer,  é o “como” devemos fazer tudo isso, para chegarmos aos resultados que almejamos, sem sacrificarmos outras áreas importantes da nossa vida.

Aqui entra a “autoconsciência.” Lembro-me muito bem, quando aprendi sobre a importância da autoconsciência em nossa vida. Foi um divisor de águas. A autoconsciência me ajudou a enxergar melhor e principalmente “aceitar” os meus pontos fortes e frágeis, isto é, meus pontos positivos e negativos, os pensamentos, comportamentos e crenças que estavam me aproximando dos meus objetivos e os que estavam me afastando. Confesso para você que “enxergar e aceitar” a parte negativa da história, não foi muito fácil. Mas os resultados, foram fantásticos.

Comecei a desenvolver uma capacidade de aprendizagem da minha comunicação e da maneira de como me relacionar com as pessoas. Aprendi ou posso dizer, reconheci, a maneira como eu lidava comigo mesma e com os outros. Isto deu um salto no meu autoconhecimento, na minha qualidade de vida e por consequência alavancou e continua me direcionando aos objetivos da minha vida pessoal e profissional.

Uma maior autoconsciência permite controlar nossos pensamentos e comportamentos. Com isso obtemos maior flexibilidade, o que é fundamental para lidar com os desafios do dia-a-dia, sejam eles pessoais ou profissionais. Também nos auxilia a persistirmos e continuarmos comprometidos com nossas metas. Conseguimos monitorar e obervar nossas ações para que possamos ajustá-las a obtermos os resultados que queremos. Um exemplo disso, é quando estamos em um diálogo ou negociação e constatamos que estamos levantando a voz ou estamos ficando nervosos, e conseguimos perceber que isso está prejudicando a comunicação.

Para finalizar é importante reforçarmos que um grau elevado de autoconsciência é a grande base para desenvolvermos outras habilidades, como por exemplo, as relacionadas à Inteligência Emocional. A Inteligência Emocional é uma das principais competências para desenvolvermos em nossa vida, pois nos auxilia a gerenciarmos nossas emoções e sermos mais eficazes naquilo que fazemos. Mas este assunto comentarei em um próximo artigo.

E você, pratica a Autoconsciência em sua vida? Vamos juntos! Eu e você HOJE, MELHORES do que ontem!  Compartilhe e escreva seu comentário logo aqui abaixo. Será muito bom saber sua opinião.

Profissões em Risco

Por: Valdir Massucatti

No exemplar do jornal “A Tribuna” de Vitória-ES, do dia 04 de fevereiro p. passado, na editoria de economia (pág. 28), trouxe uma matéria com o seguinte título: “Profissões ameaçadas pela tecnologia”. Dentre as várias profissões relacionadas, esta no rol Contador.

A matéria tem como fonte um estudo da Universidade de Oxford. Consta na matéria: “os cargos de baixa qualificação, como atendente de telemarketing, bibliotecário, técnico matemático e contador têm cerca de 99% de chance de serem substituídos por robôs, apontam os pesquisadores”.

Ouso discordar dos nobres e doutos pesquisadores em relação à profissão de Contador. Para sustentar meus argumentos passo a demonstrar a importância dessa ciência para a humanidade.

Como ciência que é a Contabilidade (Ciências Contábeis), nasceu da necessidade do Homem ter o Controle e Planejamento de seu patrimônio. É ela que registra, apura e controla a movimentação econômica, financeira e patrimonial das entidades.

Ao contrário do que diz a matéria, as entidades, quer públicas e privadas (governos, empresas e até pessoas físicas) tem procurado, através da Contabilidade, manter os registros e informações para a tomada de decisões.

Essa matéria me fez relembrar de quando surgiram no mercado os primeiros sistemas de contabilidade para uso em computadores. Nessa época também foi dito que nossa profissão estava em risco. Ao contrário do que foi veiculado, a informática/tecnologia, é  uma grande aliada de nossa profissão.

A tecnologia tem sido uma parceira, como em todas as demais profissões, diga-se de passagem, pois ela trouxe agilidade, qualidade e precisão ao nosso trabalho.

O que tenho dito para meus amigos e colegas de profissão é que, com o uso da tecnologia, devemos mudar nosso modo de trabalho. Hoje os procedimentos, os processos de trabalho são diferentes de dez anos passados.                                  HOje

Neste sentido, o profissional que não se atualizar e não acompanhar as mudanças e as novas ferramentas de trabalho, certamente ficará no meio do caminho. Mas a profissão de Contador não. Essa terá sempre importância no mundo dos negócios.

A Contabilidade que nasceu para o Controle e Planejamento do patrimônio, hoje tem uma importância ainda maior no mundo empresarial e governamental. Hoje ela é informação, apoio a decisão, linguagem de negócios, solução para ambiente turbulento, diagnóstico da saúde da empresa, de uma organização e até de uma Nação.

Contabilidade não se resume em escrituração, rotinas, burocracia e apuração fiscal. É muito mais.

O Professor José Carlos Marion, em diversas obras e em suas palestras sempre destacou: “O Contador é o médico das empresas, das organizações”. Assim, com todo respeito aos pesquisadores da Universidade de Oxford, penso que eles se equivocaram quando incluíram no rol das profissões ameaçadas, o Contador.

Heráclito já dizia 450 a.C: “nada a de permanecer, exceto as mudanças”. As mudanças ocorrem a cada segundo, e nós humanos e de todas as profissões, temos que ficar ligados a essas mudanças, que inclusive geram novas oportunidades e novos modelos de trabalho, como é o caso da Contabilidade e de diversas profissões que mudaram substancialmente ao logo do tempo, e continuarão a mudar, pois o mundo é dinâmico.

Se a linha de pensamento dos pesquisadores de Oxford proceder, todas as profissões estarão em risco, não haverá necessidade da mente humana para raciocinar e fazer interpretações sobre os fatos ocorridos. Um robô irá fazer a cirurgia, irá fazer uma sustentação oral no Tribunal, ou redigir uma petição; um projeto de arquitetura ou de engenharia. Quem sabe um robô irá presidir uma Nação.

Tenho dito que, atrás de uma máquina, um sistema, ou como queiram hardware/software, sempre será necessária uma mente humana.

Por isso meus amigos não fiquem preocupados, pois no meu sentir, nossa profissão e outras  não correm esse risco em face da tecnologia. Mas para não ficarem no meio do caminho, se mantenham ligados nas mudanças e atualizem-se.

Valdir Massucatti. Contador. Advogado. Mestre em Administração. Empresário.

Para republicação é necessário a citação do autor Valdir Massucatti e a fonte: www.contadores.cnt.br

Preço de transferência sem passivo tributário

Por: Marco Antonio Papini e Marcos Aurélio de Almeida

A interdependência das economias tem dado origem a um comércio global muito mais vigoroso nos últimos anos. Segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), a movimentação total na área simplesmente quintuplicou entre 1990 e 2012, quando foi atingida a marca de US$ 18,4 tri.

continue lendo

Duas contabilidades na empresa?

Por: Mauro Negruni

Há certa tendência entre os empreendedores de ver na contabilidade uma obrigação fiscal ou algo que alguém faz com a única finalidade de apurar o imposto de renda. Não é mais aceitável tamanha miopia organizacional.

continue lendo

Por uma boa contabilidade

Fonte: DCI – SP

Mário Berti é empresário e assumiu em janeiro a presidência da Fenacon

Em janeiro comemora-se o Dia do Empresário Contábil, um dos maiores responsáveis para a manutenção e o crescimento das micro e pequenas empresas (MPEs), e por extensão para todos os setores da economia.
Levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em conjunto com o Dieese e o Sebrae Nacional, aponta que as MPEs representam cerca de 99% dos estabelecimentos formais brasileiros e são responsáveis por 60% dos 94 milhões de empregos gerados no País.

continue lendo